VÍRUS E ANTIVÍRUS: TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER!

3 de fevereiro de 2022

Neste artigo, irei contar a vocês um pouco sobre o que é um vírus de computador, e tudo que você precisa saber sobre o vírus e o antivírus. Existem muitas informações (inclusive erradas) circulando online sobre o termo “vírus”, então vamos esclarecer e definir de uma vez por todas o vírus de computador: ele é um programa ou parte de um código malicioso capaz de se autorreplicar que se infiltra no seu dispositivo sem o seu conhecimento ou permissão.

Alguns destes vírus são meramente irritantes, porem a maioria dos vírus é destrutiva e designada a infectar e controlar seu dispositivo. Um vírus pode se alastrar a vários computadores, celulares e redes, ao criar cópias deles mesmos, assim como um vírus biológico passa de uma pessoa para a outra.

E qual é a diferença entre um vírus e malware? Embora muitas pessoas usem o termo “vírus” para se referir a qualquer tipo de programa perigoso, um vírus é apenas uma categoria de malware (software malicioso), que inclui todos os tipos de código criados com intuito de serem prejudiciais. Além dos vírus, existem outros tipos de malware a serem observados.

Para entender um pouco mais sobre o vírus, explicaremos como os vírus de computador funcionam:

“Vírus de computador” é um termo abrangente que inclui muitos tipos diferentes de vírus, mecanismos de entrega e impactos. Ao se definir exatamente como os vírus de computador funcionam, podemos dividí-los em duas categorias diferentes: aqueles que começam a infectar e se replicar assim que entrar no computador ou celular, e os que ficam inativos, esperando que você os ative (ou seja, aguardando que você sem querer execute seu código).
Eles funcionam praticamente como um vírus biológico, porem no seu computador ou celular, vou explicar as 4 fases que estes vírus tem:

Fase dormente: É quando o vírus permanece oculto no seu sistema, aguardando.

Fase de propagação: Agora é a hora em que o vírus se torna viral. Ele se replica, escondendo cópias de si mesmo em arquivos, programas ou outras partes do seu disco. Os clones podem ser levemente alterados na tentativa de evitar a detecção e também se autorreplicam e criam mais clones que continuam se copiando e assim por diante.

Fase de ativação: Normalmente, é necessária uma ação especifica para acionar ou ativar o vírus. Sendo assim ativar este vírus pode ser uma simples ação do usuário, como clicar em algum ícone ou então abrir um aplicativo. Outros vírus são programados para ganhar vida após certo período de tempo, como por exemplo logo após a reinicialização do computador dez vezes (isso é feito para ofuscar a origem do vírus).

Fase de execução: Esta é a fase onde a “diversão” começa. O vírus libera sua carga, o código malicioso que prejudica seu dispositivo.

Nestas quatro fases do vírus, você pode compreender como ele funciona no seu dispositivo, agora vou explicar para você como eles se espalham!

Os vírus podem se espalhar pela internet por meio de vários mecanismos de infecção:

E-mails: O queridinho dos cibercriminosos, os e-mails podem conter anexos prejudiciais (na forma de arquivos executáveis como .EXE ou .ZIP), links maliciosos ou até mesmo o corpo da mensagem pode trazer uma infecção por meio de HTML.

Downloads: Os cibercriminosos podem ocultas vírus em aplicativos, documentos enviados por serviços de compartilhamento de arquivos, plug-ins e vários outros modos de disponibilização dos arquivos para download.

Serviços de mensagens: Estes vírus podem se espalhar por SMS ou serviços de mensagens, como por exemplo o Facebook Messenger, WhatsApp e Instagram. Assim como nos e-mails, eles também vêm na forma de links maliciosos, anexos ou arquivos executáveis.

Software antigo: Caso você não tenha atualizado seus aplicativos ou sistema operacional há um tempo, você certamente tem uma vulnerabilidade que os cibercriminosos podem explorar para passar o vírus.

Malvertising: Eles também podem estar escondidos em anúncios online, como banners. A malvertising é muito perigoso porque os criminosos podem ocultar seu código malicioso mesmo em sites legítimos e confiáveis, como provam as infecções do New York Times e da BBC.

Existem algumas maneiras fáceis de se proteger contra todos esses vetores, iremos falar sobre isso daqui a pouco, agora irei te dizer o que esses vírus fazem nos computadores.

Logo após entrar na fase de execução e liberar a carga, o vírus de computador inicia seu ataque e você começa a sentir impactos negativos no seu dispositivo. Como os vírus sequestram o código e os recursos do seu sistema para se replicar, você também pode observar problemas durante esta fase. Observe os seguintes efeitos:

– Desempenho lento

– Arquivos ausentes ou corrompidos

– Pop-ups desnecessários

– Rotação constante de seu disco rígido

– Programas ou sistemas operacionais congelando e/ou travando

– Acontecimentos inexplicáveis, como aplicativos que abrem por conta própria ou novos arquivos que aparecem aleatoriamente.

Além de causar esses problemas de desempenho, estes vírus podem também roubar dados pessoas confidenciais, como nomes de usuário, senhas e dados de cartão de crédito. Alguns destes vírus podem enviar spam a todos os seus contatos e tentar passar o vírus para eles que é outra maneira de espalhamento. Agora que você entende um pouco mais sobre os vírus, irei apresentar a você as formas de se proteger deles e como o programa antivírus ira auxiliar você, para evitar que esses vírus entrem nos seus dispositivos.

A maneiras de evitar que essas ameaças mais recentes de vírus entre em seu dispositivo. Em qualquer tipo de malware, a prevenção é o melhor remédio. Então para se prevenir você pode evitar que as ameaças de vírus mais recentes entre em seu computador, tendo bons hábitos de navegação. Veja algumas maneiras:

– Desconfie na medida certa: Tome cuidado com as ofertas especiais, links ou anexos que você não esperava em e-mails e outras mensagens.

– Use uma versão original: Não tente piratear mídias, como músicas ou filmes, de plataformas de compartilhamento de arquivos. Você nunca sabe o que pode vir junto com um arquivo dessas fontes não verificadas.

– Tenha cuidado, mesmo em lojas estabelecidas: Embora a Google Play Store e a Apple App Store monitorem a segurança de seus dispositivos, ocasionalmente alguns malwares escapam e conseguem infectar algumas pessoas antes de serem removidos. Então antes de baixar, certifique-se que o aplicativo é seguro.

– Cuidado com anúncios e pop-ups: Publicidade maligna pode inserir vírus ou outro código mal-intencionado nos anúncios. Portanto, é melhor evitar clicar em qualquer tipo de anuncio online. Se você tiver interesse em um determinado produto, acesse o site da empresa diretamente.

– Instale atualizações: Os únicos pop-ups que você não deve ignorar são as notificações sobre atualizações do seu sistema operacional ou de outros programas. Essas atualizações geralmente incluem patches de segurança que removem a vulnerabilidade, por isso, é importante aplicá-las imediatamente.

Agora por último, mas não menos importante, adicione mais uma camada de proteção, mesmo que você tenha muita experiência online, ás vezes, os vírus podem sim passar despercebidos. Melhore suas defesas com um antivírus robusto, ele funcionará como uma rede de segurança que captura os vírus antes que eles se aproximem do seu sistema. Vou explicar um pouco sobre tudo que você precisa saber sobre um antivírus e como ele te ajuda a proteger seus dispositivos!

Primeiramente irei explicar o que é um antivírus: ele é um software que identifica e protege os dispositivos de malware também conhecidos como vírus. Esse programa pode ser instalado em computadores e dispositivos móveis, como celulares e tabletes.

A função mais simples de um antivírus é monitorar arquivos e outros programas de um dispositivo para detectar vírus. Quando novas aplicações são instaladas, o programa faz a verificação delas para saber se existe alguma ação suspeita. Se algo foi identificado, a instalação é bloqueada ou a nova aplicação é encaminhada para a quarentena.

A quarentena é um espaço de proteção criptografado e gerenciado pelo antivírus, para que o possível vírus não se espalhe pelo sistema operacional dos dispositivos. Arquivos e programas são encaminhados para a quarentena quando o antivírus ainda não identificou exatamente o tipo de vírus ou problema apresentado. Alguns dos muitos antivírus que existem, podem ser específicos para um determinado tipo de vírus, como os antispywares, que são focados em combater spywares e adwares, dois tipos que contaminam os navegadores para roubar dados bancários e apresentar banners indesejados. De forma geral, os programas devem se adaptar as necessidades de diferentes usuários. Por isso, uma versão para computador doméstico não funciona corretamente em um servidor de empresa. Nesse caso, é preciso ir atrás de uma versão corporativa do antivírus escolhido.
Com tantos antivírus disponíveis no mercado de segurança digital, fica mais fácil se você souber quais são as principais funções desempenhadas por um antivírus. Sendo assim você pode comparar diferentes opções de proteção. A seguir vou detalhar alguns aspectos que você pode comparar nas opções de antivírus:

– Identificação de ameaças: O programa, quando é instalado, realiza sua primeira varredura em todos os arquivos, criando uma “identificação digital” para cada um deles. Cada identificação, por sua vez, passa por atualizações periódicas a fim de que o antivírus verifique se houve alguma alteração. É muito importante ressaltar que o programa de antivírus disponíveis no mercado não tem a mesma mecânica, alguns oferecem um grau de detecção mais elevado do que outros.

– Atualização automática: A maioria dos antivírus oferece atualizações automáticas do próprio sistema de proteção. A ideia é que o programa consiga oferecer melhores recursos de proteção, além de defender os dispositivos de novos tipos de vírus.

Mas fique atento, certos antivírus só oferecem a opção de atualização manual, algo que aumenta o risco de o usuário esquecer de atualizar o programa e, com isso, deixar o computador mais vulnerável a ação dos vírus. Portanto, é importante que os usuários priorizem programas que oferecem esse recurso automático.

– Alertas: Caso algo estranho seja detectado pelo antivírus, o usuário é notificado para dar sequência as devidas soluções, que geralmente são excluir arquivos/programas ou enviá-lo para a quarentena. A maioria dos antivírus emite alertas automaticamente quando uma ação suspeita está tentando ser feita na máquina. Estes alertas podem ser emitidos de inúmeras formas. A mais comum é quando um pop-up surge na tela, mas, dependendo do antivírus, o usuário também pode receber e-mails e avisos pelo celular.

Já que você já sabe o que é um antivírus, deixarei aqui uma última dica: antes de instalar a proteção em seus dispositivos, é importante observar as especificações do programa e avaliar a melhor opção para suas necessidades. Um antivírus feito para Windows dificilmente é eficaz em computadores com outros sistemas operacionais (SO), como o OS X, pois cada um apresenta particularidades.

Quer receber mais dicas de como se proteger no mundo online, e muitas outras dicas? Acompanhe a Binaria Sistemas nas redes sociais e por aqui, e se precisar acione nossa equipe técnica. Estaremos sempre a disposição!

ESTÁ GOSTANDO DO CONTEÚDO? COMPARTILHE

Facebook
Twitter
WhatsApp

SEGURANÇA:

REDES SOCIAIS:

© Binária LTDA 2024 – CNPJ: 03.868.885/0001-33. Todos os direitos reservados.